Música no Museu, no entanto, não se contentou em permanecer dentro das fronteiras cariocas, iniciando processo de expansão em 1998, sempre com enorme sucesso de público, casas cheias, frequentadores assíduos e apoio da mídia impressa e eletrônica, e já é uma realidade em São Paulo (Museu da Casa Brasileira, desde 07/04/02), Belo Horizonte (Museu Histórico Abílio Barreto, desde 28/06/02), Brasília (Memorial JK, desde 04/09/02), Florianópolis (Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Souza), Curitiba (Museu Oscar Niemeyer), Porto Alegre (MARGS), Tiradentes (Museu Padre Toledo) e Niterói (Solar do Jambeiro).

 

Com a ampliação para Paris, a Série se torna internacional. Também realizou, com o maior êxito, Musique au Musée- Musée de Montmartre- Paris dando um cunho internacional à Série. Em 2006 realizou o I Festival Internacional de Harpas do Rio de Janeiro, também com o maior sucesso repetindo em 2007 na versão II e já maior dimensionado com 33 harpistas de 25 países, sucesso de público e mídia e já agora na sua XII versão depois de sucessos contínuos do III ao XI RioHarpFestival.

 

Em 2006 realizou memorável concerto do pianista Nelson Freire na Matriz de Santo Antonio em Tiradentes comemorando os 9 anos da Série mas antes iniciou a incursão pela área acadêmica ao promover no Conservatório Brasileiro de Música o I Encontro de Empreendedorismo no Meio Musical reunindo o que há de mais expressivo na música brasileira (autores, críticos, entidades, músicos) além de alunos discutindo os novos rumos da música clássica no Brasil.

A partir de 2007 expande-se para o Nordeste: Mosteiro de São Bento e Palácio da Aclamação (Salvador), Biblioteca Epiphaneo Dórea (Aracaju), Museu Histórico de Sergipe (São Cristóvão), Museu da Imagem e do Som (Maceió), Centro Cultural São Francisco (João Pessoa), Museu da Cidade do Recife- Forte 5 Pontas (Recife) e Igreja São Pedro (Olinda). Também amplia-se em Minas Gerais, Ouro Preto ( Igreja Santa Efigênia), Tiradentes (Centro Cultural Yves Alves), São João del Rei (Igreja N.Sa. das Dores (Capela Santa Casa) e Barbacena (Igreja N.Sa. do Rosário) e no interior do Rio de Janeiro: Niterói (Museu do Ingá) , Paraty (Museu de Arte Sacra, Igreja de Santa Rita) , Paulo de Frontin (Fazenda Todos os Santos), Petrópolis (Museu Imperial) , Vassouras (Fazendas São Fernando, Boa Sorte e Santa Eufrásia).

 

Também em 2008, deu-se a ampliação na sua incursão internacional, concertos realizados em Portugal(Lisboa, Santarém, Alcobaça, Aveiro e Porto), além de República Tcheca (Praga) e USA (Nova Iorque e Washington) além da realização do I Concurso Jovens Músicos -Música no Museu cujo vencedor recebeu uma bolsa de U$93 mil da James Madison University, na Virginia (USA) e do III Encontro de Empreendedorismo na Área Musical, na Escola de Música da UFRJ.

 

Para 2009, além desta ampliação, inserem-se, também, museus e igrejas de Salvador, Aracaju, São Cristóvão- a 4a. cidade mais antiga do Brasil, Maceió, João Pessoa, Recife e Olinda, Natal, São Luiz, Belém e Manaus, na versão Música no Museu Norte/Nordeste e prosseguem as vitoriosas iniciativas anteriores.

EXPANSÃO

Todos os direitos reservados - 2016.